segunda-feira, 2 de junho de 2008

Artes - AB - 8°EF - 1ª etapa


Professora: Tetê Macambira

Texto 1:

O adolescente

A vida é tão bela que chega a dar medo.

Não o medo que paralisa e gela,
estátua súbita,
mas

esse medo fascinante e fremente de curiosidade que faz
o jovem felino seguir para a frente farejando o vento
ao sair, a primeira vez, da gruta.

Medo que ofusca: luz!

Cumplicemente,
as folhas contam-te um segredo
velho como o mundo:

Adolescente, olha! A vida é nova...
A vida é nova e anda nua
- vestida apenas com o teu desejo!

Apontamentos de História Sobrenatural, Porto Alegre, Editora do Globo, 1976

Texto 2:

O poema

Um poema como um gole dágua bebido no escuro.
Como um pobre animal palpitando ferido.
Como pequenina moeda de prata perdida para sempre na floresta notturna.
Um poema sem outra angústia que a sua misteriosa condição de poema.
Triste.
Solitário.
Único.
Ferido de mortal beleza.

O Aprendiz de Feticeiro, Editora Nova Fronteira, Porto Alegre, 1950.

Texto 3:

Os Poemas

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Esconderijos do tempo, L&PM Editores, Porto Alegre, 1980.

Fonte de Pesquisa: http://www.ponto.altervista.org/Livros/Doc/quintana.html

Sem comentários:

Arquivo do blogue