segunda-feira, 2 de junho de 2008

Artes - 6°EF - 1ª etapa

Avaliação Global de Artes

6ª do Ensino Fundamental – 1ª Etapa - Turno: manhã – Total de Escores: 20

Profª: Tetê Macambira

Texto:

Rio de Janeiro

(Luiz de Miranda)

O avião desce no aeroporto Tom Jobim,

Aqui começa o Rio, uma beleza sem fim.

Montanhas e mar que o ourives do universo

Fez quando descansou no sétimo dia da criação.

Poesia e canção por baías

que a solidão inventa,

a paixão ilumina e sustenta,

o belo tem a vestimenta mais rara,

e aqui se declara o melhor do mundo.

Olho de Deus, terno e profundo,

tudo desmaiado aos pés do Cristo Redentor.

Por tuas ruas cresce o amor,

aquele que renasce beija-flor,

a cada esquina,

verso que a mão de Drummond ilumina.

Amanhecem as cerejas mais lindas

Para que tua alma se reveja.

Em Copacabana, Gerardo Mello Mourão*,

aos domingos,

abre sua casa para o almoço.

A Poesia perfila-se à porta

O seu vasto coração.

Da vida,

a que brilha,

é profundo poço.

O verso vibra

e até hoje ouço

o seu latir

incessante,

que por mares vai, puro diamante.

No Rio Comprido,

bebo cerveja com Ivan Lins,

tempos idos e vividos.

Piano e canção que não têm fim,

Sob uma lua de prata e porcelana

Paixão de quem ama

A madrugada alta

paixão que falta,

que a amada distraiu-se

nas ruas da cidade,

e nos deixa meigos

e ásperos

como a saudade.

Ivan toca o coração e a chama

Que morde o corpo de quem ama.

À cidade em beleza, miséria e fome,

como é que há de um homem

escrever seu nome nesta paisagem?

Memória dos tristes e abandonados

que Chico de Buarque canta

mulher e homem amados

que a cruz de cristal levanta,

sem presente

ou passado,

por noites e noites,

sonhamos lado a lado.

Eterno mar que a glória quer vê-la

o que será amanhã uma estrela.

Espessa esperança

que não cansa,

que avança céu adentro, ao infinito.

Cidade de muitos amores

E uma dor solitária, quase um grito.

Por bares,

que são nossos lares,

andamos:

Luna Bar, Degrau e Lamas,

escritores, poetas e cantores,

é a fala de quem ama.

O resto é mar.

Vastidão e iluminância,

rente à nossa mão vazia,

volta o barco da infância,

por este Rio, de janeiros

e janeiros,

que bata em nossa alma

o ano inteiro.

Luz de Deus tão declarada,

Cidade eternamente nossa.

Seguirei sozinho, seguirás amada.

01. Relacione cada capital ao seu respectivo estado: (10 escores)

a. Belém ( ) Acre

b. Fortaleza ( ) Mato Grosso do Sul

c. Recife ( ) Paraná

d. Porto Alegre ( ) Sergipe

e. Palmas ( ) Roraima

f. Boa Vista ( ) Tocantins

g. Aracaju ( ) Rio Grande do Sul

h. Curitiba ( ) Pernambuco

i. Campina Grande ( ) Ceará

j. Rio Branco ( ) Pará

02. Leia o seguinte texto sobre Gerardo Mello Mourão (citado no texto acima)

GERARDO MELLO MOURÃO

(Ipueiras, CE, 08 jan. 1917 – Rio de Janeiro, RJ, 09 mar. 2007), poeta e escritor cearense, escreveu obras como ´Peripécias de Gerardo´ (1972), vencedor do Prêmio Mário de Andrade, da Associação Paulista de Críticos de Arte, e ´Invenção do mar´ (1998), ganhador do Prêmio Jabuti. Um dos poucos brasileiros indicados ao Prêmio Nobel de Literatura (indicação em 1977),(...) Ao longo da vida, veio a falar nove idiomas, dentre as quais holandês, latim e grego. Deixou o convento e ingressou em curso de Direito (não concluído). Influenciado por Tristão de Athayde, filiou-se à Ação Integralista Brasileira, movimento nacionalista, com traços de direita, e passou a dedicar-se ao jornalismo e a dar aulas em colégios. O envolvimento com o integralismo fez ser detido inúmeras vezes entre 1938 e 1945, ano do fim do Estado Novo. Em 1942, acusado de colaborar com nazistas, foi condenado à morte, pena reduzida a 30 anos de prisão, dos quais cumpriu menos de seis. Duas vezes deputado federal, eleito por Alagoas, teve seus direitos políticos cassados em 1969 pelo regime militar. Na década de 1980, foi presidente da Rio Arte e secretário de Cultura do Estado do Rio, além de correspondente da Folha de S. Paulo em Pequim entre 1980 e 1982 (Folha de S. Paulo, São Paulo, 10 mar. 2007, p. C13).

Assinale a alternativa correta: (01 escore)

a) O poeta Luiz de Miranda, gaúcho, fez uma homenagem ao poeta cearense Gerardo Mello Mourão. Fica evidente, através da poesia, que ambos se conheceram no Rio de Janeiro, reduto de artistas brasileiros.

b) O poeta Luiz de Miranda apenas fez uma homenagem ao mais carioca dos poetas, e, também , ao único poeta brasileiro indicado para o prêmio Nobel de literatura

c) Esta poesia foi uma homenagem ao carioca da gema , Gerardo Mello Mourão.

d) Nenhuma das alternativas anteriores

03. Abaixo estão relacionadas pessoas as quais o poeta homenageia e os remete à cidade do Rio de Janeiro. A única exceção é: (01 escore)

a) Chico Buarque de Holanda

b) Ivan Lins

c) Gerardo Mello Mourão

d) Tom Jobim

04. Abaixo estão relacionados vários pontos turísticos da capital homônima do Rio de Janeiro. Assinale a única incorreta: (01 escore)

A) Aeroporto Tom Jobim

B) Cristo Redentor

C) Luna Bar

D) Baía de Guajará

05. Observe os terceiro e quarto versos da 1ª estrofe do poema: (01 escore)

Montanhas e mar que o ourives do universo

Fez quando descansou no sétimo dia da criação.”

O “ourives do universo” seria, de acordo com o texto:

a) o próprio poeta

b) o poeta Gerardo de Mello Mourão

c) Deus

d) Tom Jobim

06. Acidente geográfico que, segundo o poema, não ocorre no Rio de Janeiro se encontra no item: (01 escore)

a) baía

b) montanha

c) praia

d) istmo

07. A cidade do Rio de Janeiro é uma cidade litorânea, ou seja, fica nio litoral, à beira do mar. São várias as referências sobre o mar que o poeta faz. Marque a única exceção: (01 escore)

a) “Poesia e canção por baías / que a solidão inventa”

b) “ Eterno mar que a glória quer vê-la / o que será amanhã uma estrela.”

c) “Vastidão e iluminância, / rente à nossa mão vazia, / volta o barco da infância,”

d) Nenhuma das alternativas

08. Sobre o poeta Luiz de Miranda, é inválido (= incorreto) afirmar que: (01 escore)

a) Nascido em Urguaiana, fronteira com a Argentina e o Uruguai

b) Já foi premiado nos Estados Unidos, na Itália, no Panamá e no Paraguai

c) Em 1988, recebeu o Prêmio Érico Veríssimo pelo conjunto da obra.

d) Em 2001, recebeu o Prêmio Nobel da Literatura

09. A ilustradora do paradidático lido, “A Poesia das Capitais”, é: (01 escore)

a) Cristina Melo

b) Cristiane Andrade

c) Cristiane Ximenes

d) Tina Vieira

10. Diga a qual cidade se refere o poeta Luiz de Miranda a partir dos versos lidos : (02 escores)

a) “A mão encantada de Oscar Niemeyer / pousa encantada no Planalto. / Ave de mil vôos, de mil ternuras, / levanta do chão o edifício alto.” ______________________________________________

b) “Por tuas praias, Iracema traz / José de Alencar a contar / o que é vasto e eternidade. “ _____________________________

Sem comentários:

Arquivo do blogue